saudavel-idoso2

Envelhecimento saudável a partir das práticas vibracionais e energéticas

O Estatuto do Idoso no Brasil predomina que idoso é a pessoa que tem a partir de 60 anos. Segundo a Organização Mundial de Saúde (OMS) até 2025 a população brasileira de idosos crescerá 16 vezes, colocando em sexto país entre o ranking das populações mais idosas do mundo.

O processo fisiológico do envelhecimento traz repercussões orgânicas levando à diminuição das reservas funcionais corporais. E esse efeito é observado em todos os aparelhos e sistemas corporais: muscular, ósseo, nervoso, circulatório, pulmonar, endócrino e imunológico. A respeito de algumas alterações provocadas no corpo na senescência podemos citar: perda neuronal, diminuição do peso e volume cerebral, osteopenia, sarcopenia, diminuição da acuidade visual e auditiva, perda da elasticidade, diminuição da capacidade de reserva funcional do aparelho cardiovascular.

Pela visão da Medicina Tradicional Chinesa (MTC), os Rins, através das suas funções energéticas, armazenam Essência herdada e governam o nascimento, crescimento, reprodução e desenvolvimento do ser. De acordo com o Imperador Amarelo; após a idade de 64, a energia dos Rins enfraquece e a energia vital é reduzida. Já que energeticamente os Rins são também responsáveis pelas condições dos ossos, a debilidade desses órgãos causa enfraquecimento dos tendões e ossos. Porém, é citado no livro Princípios de Medicina Interna do Imperador Amarelo: “Para aqueles que saibam preservar sua saúde, embora atinjam a idade de cem anos, já que podem conservar seu corpo em boa condição para postergar a senilidade, preservar seu físico do declínio, ainda podem ter filhos”.

O equilíbrio e saúde de forma global dependem do funcionamento harmônico: tanto do corpo físico como dos sistemas de controle homeostático da hierarquia fisioenergética das dimensões superiores do nível do veículo físico. Quando as perturbações energéticas ocorrem no nível etérico ou em níveis de frequências superiores da estrutura, as alterações patológicas se manifestam no nível físico – celular. Os métodos de cura vibracionais e energéticos representam maneiras de se lidar com as doenças e sustentar a saúde, já que o alcance das frequências emitidas através dessas abordagens ressoam com as frequências dos corpos sutis.

O resultado eficiente do tratamento no processo de cura do cliente, além do seu comprometimento, está sustentado no campo da sua dimensão, já que a anatomia humana é multidimensional apresentando: corpo físico, corpo etéreo, corpo astral, corpo mental, corpo causal. Dessa forma, para a promoção da saúde e manutenção da qualidade de vida durante o percurso do envelhecimento, algumas práticas para a saúde integral abrangeriam: reiki, uso da fitoterapia, aromaterapia, homeopatia, florais; práticas corporais como Tai Chi Chuan, Yoga, dança, bioenergética e meditações; acupuntura, terapia ayurvédica, alimentação saudável e Psicoterapia Vibracional.

Escrito por:
Pauline Boukaira – Tarusha Veet

Referências Bibliográficas:
Práticas Complementares para Saúde Integral. Ana Claudia M. Gonçalves e Carlos Eduardo A. Durgante. Editora Ideia Jurídica
Princípios DE Medicina Interna do Imperador Amarelo. Editora Ícone
Medicina Vibracional. Uma Medicina do Futuro. Richard Gerber. Editora Cultrix
Os Fundamentos Da Medicina Chinesa: Um texto abrangente para acupunturistas e fisioterapeutas. Giovanni Maciocia. Editora Roca
Fisioterapia na Terceira Idade. Pickles. Editora Santos.

linkedin

Sobre o(a) Autor(a): Pauline Boukaira - Tarusha Veet

mm
Fisioterapeuta, Acupunturista, Reikiana pelo sistema Usui Shiki Ryoho. Amante de fitoterapia, florais, óleos essenciais, homeopatia, astrologia, numerologia, cristais. Discípula do meu mestre interior com auxílio de Osho. Busco, construo e descontruo, como todos signos mutáveis: peixes com gêmeos.